03

nov 2017

Solus Christus

Solus christus

Jesus Cristo é o fundamento, o dono, o edificador e o protetor da Igreja (Mt 16.18). Ele é o único Salvador e o único Mediador entre Deus e os homens. Não há salvação fora dele e ninguém pode chegar ao Pai senão por meio dele. A Reforma Protestante reafirmou essa doutrina essencial da fé cristã. Consideremos alguns aspectos importantes dessa doutrina:

  1. Jesus Cristo é a pedra fundamental da igreja –A doutrina romana que afirma ser o papa a pedra fundamental da igreja, sobre a qual ela está edificada, não possui amparo bíblico. Pedro nunca foi papa nem o papa é sucessor de Pedro. A igreja só tem um fundamento que é Cristo (1Co 3.11). A pedra sobre a qual a igreja está edificada é Cristo. Só ele é a rocha que não se abala. Edificar a igreja sobre qualquer outro fundamento é construir para o desastre.
  2. Jesus Cristo é o cabeça da igreja –Jesus é o dono da igreja. Ele mesmo disse: “Eu edificarei a minha igreja” (Mt 16.18). Ele é o bom, o grande e o supremo pastor da igreja. Ele deu a sua vida por ela. Ele a remiu com o seu próprio sangue. Ele a governa e com ela vai reinar por toda a eternidade. Na igreja de Deus não existe espaço para um bispo universal. Isso é uma usurpação do lugar que só pertence a Cristo. Jesus é o cabeça da igreja, o Senhor da igreja, o soberano que a governa, o noivo que a desposará e com ela reinará para sempre.
  3. Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens –A Reforma Protestante rejeitou decididamente, fundamentada na Palavra de Deus, a doutrina romana que proclama o papa como sumo pontífice. O supremo mediador entre Deus e os homens não é o papa, nem Maria, nem os apóstolos nem qualquer outro personagem da história. A Bíblia é clara em afirmar: “Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem” (1Tm 2.5). Jesus foi claro e enfático: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida e ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.6). Jesus é o caminho para o céu, a porta do céu, o único que pode nos levar até o Pai.
  4. Jesus Cristo é o único Salvador –A Reforma Protestante retornou à doutrina bíblica que proclama Jesus Cristo como o único Salvador. A salvação não vem por meio dos méritos humanos nem é resultado de suas obras meritórias. A salvação não é alcançada por meio dos sacramentos ministrados pela igreja nem mesmo pela mediação de Maria. A salvação é obra da graça de Deus por intermédio do seu Filho. A Bíblia falando da centralidade e exclusividade de Jesus Cristo como Salvador, diz:: “E não há salvação em nenhum outro nome pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12). O sacrifício expiatório de Cristo na cruz é o único fundamento da nossa salvação.
  5. Jesus Cristo é o único edificador e protetor da igreja –Jesus afirmou: “Eu edificarei a minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18). A igreja é o corpo de Cristo, a noiva do Cordeiro. O mesmo Jesus que morreu e ressuscitou e está à destra do Pai, está edificando a sua igreja por meio da sua Palavra e da sua providência. É ele mesmo quem a protege da fúria do inimigo e quem a preserva até o dia de apresentá-la como noiva santa, pura e imaculada. Nesse dia, então, o universo restaurado, verá na igreja, a suprema riqueza da graça de Deus, para que toda a glória seja dele pelos séculos dos séculos

V.5

Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões: a expressão traspassado refere-se à morte por violência. Até porque as enfermidades podem referir-se tanto a feridas quanto a doenças.

Moído pelas nossas iniqüidades: a palavra moído é entendido que o sofrimento do servo do Senhor continuará até o fim do seu amargo, e este sofrimento será ocasionado por violência humana.

Pelas nossas transgressões: retrata o pecado como transgressão ou violação dos limites morais estabelecidos por Deus.

Pelas nossas iniqüidades: enfatiza a natureza do pecado, que produz culpa. Ele carregou as nossas enfermidades e as nossas dores, assumindo livremente o castigo por nossas transgressões.

O castigo que nos traz a paz estava sobre ele: a frase original é realmente o castigo de nossa paz que significa o castigo que resultou em nossa paz, é absurdo que um castigo resulte em paz; mas este versículo é afirmado, com santa admiração, que esta aparente tolice esconde em si a mais elevada sabedoria. O segredo está na substituição. Toda a nossa dívida foi quitada.

Paz: a palavra hebraica que traduzimos como paz é muito mais do que a palavra portuguesa, visto que ela abrange toda a salvação, bênçãos e felicidade. Portanto através dessa paz participamos da sua misericórdia e graça.

E pelas suas pisaduras fomos sarados: a palavra pisaduras refere-se a ferimentos infligidos por pessoas, ou seja, feridas. E através de suas pisaduras, que significa angústia, miséria e sofrimento que ele suportou por causa do pecado, resultou em cura. Que é salvação.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *